18 de janeiro de 2011

Ir longe;

Eu tive que aprender do modo mais dificil o que é preciso para controlar o fogo, com certeza eu cometi muitos erros, e saí com muitas cicatrizes.
Eu almejava tocar o céu como a águia voava, ser livre para ir e vir sem deixar meu mundo em chamas. Desejava ter força para carregar todo o fardo dos que eu amava, ter forças para levar todo mundo comigo, e tentei, tentei com tanta bravura e força de vontade que esqueci de mim e antes que eu pudesse perceber minhas asas ficaram fracas e eu desmoronei, deixei no caminho todos e tudo aquilo que eu tinha levado comigo, senti minhas asas quebradas, eu já não podia me levantar mais e em meus olhos chovia tanto que eu não conseguia enchergar a frente, fiquei tão cansada de sempre aguentar tudo sozinha que me sentia sufocada, alguém parecia estar me enforcando. Gritei com tanta força que em minha garganta escorria algo estranho e quando vi era apenas sangue, meu sangue, o sangue que tinha adrenalina o suficiente para levar tudo aquilo que levei por anos, fui tão alto que a queda foi tão forte que achei que não voltaria nunca mais. Minhas asas e meu peito doiam tanto que achei que morreria, minha garganta sangrava com tanta força que achei que ficaria sem sangue, que ficaria muda por mais tempo do que fiquei todos os anos que carregava o fardo de todos aqueles que eu amava. Me sentia tão enforcada que tinha vontade de enfiar as mãos goela abaixo e arrancar aquilo que estava preso. Tentei fazer meus olhos pararem de chorar mais falhei nisso também, falhei em sorrir, falhei em andar, falhei em voar alto. Perdi pelo caminho todos aqueles que me custaram caro para levar. A dor era tão grande que eu me sentia anestesiada por ela, passei então a viver calada e sem expressões no rosto, passei a viver pela tristeza, troquei meus cds da estante, minhas roupas do armário, troquei meus dias livres pela prisão do meu quarto, troquei meu sonho de voar alto, pelo de me afundar cada vez mais. Me olhava no espelho e perguntava a mim mesma:
"O que eu posso fazer para você me amar?" "O que eu posso dizer para fazer você sorrir?" "Quando você me dará aquele sinal de que estou esperando?"
e uma voz na minha cabeça sempre me dizia que estava indo embora. Conta a minha mãe que ela corria para o meu quarto comigo aos prantos, gritando coisas como "Não vá embora!! Como eu saberei se essa é a hora certa? Como eu sentirei se esse é o lugar certo?"
Então um dia, andando no fogo eu ouvi uma voz dizendo ''Eu serei aquele que você poderá contar, encherei sua mente com coisas para sonhar e estarei a um passo de distância para te pegar se você cair. Você e eu, hoje e amanhã. Confie em seu coração e o que ele seguirá."
Minutos depois, senti minhas asas voltarem a bater, meus olhos pararam de chover, senti que podia voar alto de novo, só que dessa vez, tinha que parar para descançar hora ou outra.
O que eu posso fazer? Faz parte.

(texto original em letthesunshiine)
N. Skye

2 comentários:

  1. Infelizmente,faz parte ...
    Bjinhos!

    ResponderExcluir
  2. Selo pro blog:
    http://amar-go.blogspot.com/p/presentes-selos.html

    :)

    ResponderExcluir