3 de abril de 2011

Codinome Céu;


[Desculpem-me o tempo que não estive aqui e muitíssimo obrigado a todos por estarem fazendo parte desse blog, e Rafaella nem tenho palavras pra lhe agaradecer por cuidar bem desse cantinho de todos...]


Primeiramente, queria desculpar-me como o amante
que some durante a noite e lhe deixa uma manhã de cama vazia.
Uso o termo 'incorrigível' para descrever a mim mesmo,
sou do tipo egoísta que apenas faz questão da companhia de poucos
livros para longas viagens...

Escrevo-te cartas longas sobre os lugares que visito e suas respostas,
quando conseguem me encontrar, me perguntam por que não volto, por que não fico.
Se você soubesse o que é ter um espírito que grita por novos rumos
me entenderia, ainda que eu ame o seu sorriso um tanto melancólico, é
a estrada que me faz sentir que existe vida em mim.

Queria desculpar-me por não ter os pés presos ao chão, queria desculpar-me
por me chamar céu e não ser apenas seu.
Hoje cedo, saí para caminhar e amorenar minhas idéias ao sol, aquele sol
que vem depois da chuva, que nos faz agradecer a luz por existir, pensei
em você decidi que já era hora do regresso...

Eu desapareço na vida por que é preciso, e eu volto para a sua vida, por que
te amo...

2 comentários:

  1. Mas que lindo. Me faz pensar em mim mesma, nessa necessidade de mudança que eu tenho sentido.

    Preciso deste seu desprendimento.

    Pra nunca mais regressar.

    ResponderExcluir